quarta-feira, março 17, 2010

[Reflexões] É válido participar de programas de treinamento gratuitos de empresas ?

Prezados,

Gostaria de contribuir para a discussão sobre ser válido ou não participar de programas de treinamento ofertado por empresas dando um pouco de meu testemunho em relação ao mercado e ao comportamento que observei de muitos estudantes.

Concordo com a opinião de alguns nesta discussão de que qualquer conhecimento é válido. Maior que a oportunidade de aprender é também a oportunidade de conhecer pessoas e ser admirado pelo que você é e expressa.

Muitas vezes, me deparei com alunos com níveis de dificuldade variados, porém muitos deles compensavam sua momentânea falta de conhecimento com atitudes como comprometimento, sinceridade e muita garra. Isto não se ensina nas instituições de ensino, porém é facilmente percebido pelos colegas e professores.

Já convivi com vários tipos de alunos, aqueles que afirmam que o título de graduação não oferece qualquer diferencial no mercado, aqueles que desafiam ou menosprezam os professores em sala em aula, aqueles que não aproveitam os anos de graduação para divulgar seus conhecimentos junto aos colegas, etc, etc, etc... Engraçado que já tive aluno que até publicou em sua página pessoal na internet que os anos de graduação não o complementaram em nada, fazendo talvez uma consideração inocente de que todos os seus professores eram o nada absoluto.

Em contrapartida, já tive alunos que travavam diálogos enriquecedores com professores, que os faziam voltar para casa, estudar sobre um determinado assunto e devolver com extrema satisfação o conhecimento solicitado. Alguns aproveitaram os anos de graduação e se ocuparam como monitores, palestrantes, verdadeiros intermediários do conhecimento. Muitos procuravam os professores para submeter artigos em congressos e participavam ativamente da vida acadêmica.

Pois bem, apesar de não concordar com o comportamento de alguns, não os condeno por saber que a juventude possui a rebeldia em sua essência.

Mas existe um limiar tênue entre a prudência e a imprudência. O erro maior é pensar apenas no presente, esquecendo o futuro.

Para entender esta visão, prestem atenção à mídia e a crescente valorização da geração Y - os jovens, cada vez mais jovens, ocupando cargos de grande relevância em empresas. Intimamente, há uma condenação, embora subliminar, da experiência dos mais vividos. A grande questão é: quando estes jovens estiverem mais velhos, serão sepultados por uma nova geração Y? Ou seja, estarão cavando sua própria sepultura ?

Bom, a discussão é enriquecedora e encerro meu comentário aconselhando a todos a "crescerem e aparecerem". Não no sentido pejorativo que alguns entendem esta frase, mas crescer e aparecer é na verdade elevar-se em espírito e ser admirado e seguido.

Em um mundo cercado pela informação, acreditem, somos cada vez mais descartáveis. A labuta é dura, meus amigos, mas desafiadora.... ah,sim... felizmente, desafiadora!

Grande abraço a todos.

Grinaldo.

4 Comments:

At 9:33 AM, Blogger RUInaldinho said...

Boa, professor...

 
At 10:14 AM, Blogger Ivan said...

Muito boa a visão de Grinaldo. Em particular, eu nunca fui o melhor aluno da graduação, mas, por mais simples que fosse a disciplina, sempre procurei aprender o máximo possível, ser amigo e apoiador dos professores e dos colegas, estando disponível sempre que possível. E esse comportamento hoje, apesar de todas as dificuldades tem me rendido bons frutos.

 
At 11:34 AM, Anonymous João Bosco said...

Com relação ao titulo do tópico, é muito valido esse tipo de treinamento, não só pelo conhecimento mas PRINCIPALMENTE, pelo networking que é adquirido.

Como foi deixado nas entre linhas do texto, expressar o conhecimento é uma das melhores formas de ser reconhecido. E somente sendo reconhecido é que você colherá bons frutos.

Quanto a questão da graduação, quem passa por ela e diz que em nada foi acrescentado, certamente é porque se colocou o tempo todo no lugar de observador. O conhecimento não corre em uma via de apenas uma mão. É uma troca. Não é estático do professor para o aluno, é dinâmico e auto referenciado do aluno para o aluno também.

Infelizmente pagamos o preço no nosso dia a dia por termos muitos observadores nas faculdades da vida. Falta de inovação, falta de qualificação, falta de interesse são algumas medalhas que o mercado nos oferece pelo excesso de observadores.

Temos que lutar para melhorar esse quadro.

 
At 3:23 PM, Anonymous Anônimo said...

Acredito que a maturidade seja um ponto forte quando separamos os alunos participativos dos alunos aparcipativos (silogismo brabo), sou professor e sempre que alunos não queriam cooperar no sentido construtivo (não acrescentando a aula e simplesmente tentando destruir o professor) eu dizia, " você quer acrescentar algo aos colegas que não estamos vendo", em 99% dos casos, eles não acrescentavam, enfim, para mim a maturidade é papel importante por este tipo de atitude.

 

Postar um comentário

<< Home