terça-feira, setembro 08, 2009

Fonte: Diário de Pernambuco

O tema já é de certa forma batido, mas creio que o crescimento no setor deve estar relacionado à melhores salários - para isto devemos ter um mercado aquecido - e incentivos estudantis na área de exatas - literalmente, melhorar o nível lógico e matemático dos alunos.
-------------------------------------

A oferta de profissionais de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) continua inferior à demanda.

Dados da Associação Brasileiras de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom) indicam que o déficit de mão de obra chega a 100 mil pessoas em todo o país. Enquanto o número de vagas cresceu 6,5% em 2008, a oferta de profissionais não ultrapassou a casa dos 4%. Não há números regionais. Em 2007, quando o déficit estava em 33.011 profissionais, no Nordeste eram 720 vagas sem ocupação, 130 delas no Recife.

O descompasso entre oferta e demanda é uma das preocupações dessa indústria, porque impede sua expansão e uma maior projeção no mercado internacional. "O Brasil tem tudo para se posicionar com um dos maiores players mundiais do setor, mas falta gente em quantidade e qualidade", observa o diretor executivo da Brasscom, Sérgio Sgobbi. A entidade reúne as maiores empresas de TI, nacionais e internacionais, como IBM, Microsoft, Sun, Totvs,Unisys, Accenture, Atos Origin, Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R.), CPM Braxis, Cisco e Intel. Além disso, congrega centros de pesquisa e universidades.

Outro levantamento, este feito pela revista Computerworld, mostra que atualmente há quase 1,5 mil vagas abertas na área de TI, a maioria no estado de São Paulo. Na CPM Braxis há no momento 385 posições em aberto, de estagiário a gerente. Na IBM, são cerca de 300 oportunidades desde 2008. A Totvs, fabricante de softwares de gestão, acaba de abrir 270 vagas nas áreas de implantação e desenvolvimento de programas para computador. As vagas estão espalhadas por São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Joinville (SC). Já o C.E.S.A.R. não informou quantas vagas possui em aberto.

O cenário é preocupante. Previsões indicam que, se a demanda continuar aumentando muito acima da oferta, chegaremos a 2012 com um déficit de 213 mil profissionais no Brasil. O número é considerado alto, mas ainda está bem abaixo daquele projetado para a Índia, outro importante polo de TI, cujo déficit deve chegar a 500 mil profissionais no mesmo período. Um dos problemas mais recorrentes é a exportação de talentos. Bons profissionais acabam sendo muito cobiçados pelo mercado e logo acabam mudando de cidade, região ou país.

Para evitar que o gargalo aumente, a Brasscom vem fazendo gestões junto ao Sistema S, escolas técnicas e universidades, para ampliar a oferta de vagas e mexer no currículo dos cursos das áreas de ciência de computação, processamento da informação e eletrônica e automação. No Nordeste, a entidade já visitou Bahia, Paraíba e em breve virá a Pernambuco. "Os cursos do Senai e Senac, por exemplo, vão chegar em 2014 com dois terços de suas vagas gratuitas. Estamos propondo que uma boa parte dessas vagas sejam destinadas à TI e que o currículo seja adequado à demanda do mercado", diz Sgobbi. Entretanto, segundo o executivo, essas são ações estruturantes que só trarão resultados no médio prazo.

2 Comments:

At 4:25 PM, Blogger Lucas Palmeirense said...

oi, grinaldo! achei seu blog pelo google, procurando por curso gratuito ti bahia :D

estou interessado em fazer algum curso profissionalizante/técnico de computação e gostaria de pedir sua ajuda. quero uma orientação de como começar, lugares, etc.

pode me ajudar?

sou do itaigara e faço eng de minas na ufba, mas lá é um saco e não vejo a hora de abandonar tudo. claro que é tudo culpa do meu pai que empurrou essa merda pra mim, sendo que minha vida é informática.

tb penso em fazer graduação nessa área mas tá difícil passar na ufba e uneb. enquanto não passo, quero fazer cursos por fora.

clique no meu nick e pode responder no meu blog ou entao aqui, se preferir

obg!

 
At 5:28 PM, Blogger Grinaldo Oliveira said...

Prezado Lucas,

Em lugar de um curso técnico, recomendo que você avalie a possibilidade de realizar um curso tecnológico na área. É de menor duração e mais focado ao que você deseja. O problema do curso técnico é que as disciplinas ficam muito soltas, ao contrário de um curso planejado. A UNIJORGE e UNIFACS oferecem excelentes cursos.

Todavia, para iniciar nesta área recomendo que estude lógica de programação de computadores e confira os cursos da UNIFACS e Instituto recôncavo.

Mande um email para mim, pois o seu email não veio junto com o seu post.

Abraço.

Grinaldo.

 

Postar um comentário

<< Home