sábado, outubro 27, 2007

[MERCADO] Crescimento do mercado de TI anima empreendedores

FONTE: ESTADAO

Precisamos cada vez mais de empreendedores - espero que a geração que esteja atualmente nas faculdades esteja sintonizada com todo este movimento.
-----------------------------

O economista Wellington Freire já foi tachado de ''''megalomaníaco da Bahia''''. Talvez seja mesmo. Aos 41 anos, desde os 14 envolvido com tecnologia, seu modesto plano é dominar o mundo da programação de softwares com uma ferramenta ''''multilíngüe'''' desenvolvida no Brasil. Ele teve uma boa idéia, desafiou céticos e agora parte para a briga contra gigantes, como Microsoft e Oracle.

link Mais informações

O mercado brasileiro de tecnologia tem apresentado uma expansão considerável. Nos últimos 12 meses, o total de celulares no País cresceu 17,6%, atingindo 112,7 milhões em setembro. Este ano, a venda de computadores deve chegar a 10,1 milhões, ultrapassando pela primeira vez a de televisores. O acesso maior à tecnologia, somado às condições macroeconômicas favoráveis, tem incentivado empreendedores e investidores no setor de tecnologia.

Como a do baiano Wellington Freire. Por não ter formação em desenvolvimento de softwares, ele criou ojeriza às complexas linguagens de programação em linha (em que os comandos são digitados), como Java, Delphi, SQL ou C++. Desde que fundou a empresa Freire Informática, em 1996, e passou a fornecer soluções para prefeituras do interior da Bahia, sentiu necessidade de algo que não havia no mercado.

''''Não podia simplesmente aceitar alguns conceitos estabelecidos pela maioria. Resolvi brincar, testar o novo'''', disse Freire ao Estado em Salvador, na sede de sua segunda empresa, a Softwell Solutions. Ele organizou uma equipe de 1,2 mil desenvolvedores em um trabalho de cinco anos para produzir o Maker, software que substitui as linhas de programação por interfaces gráficas. É o equivalente a migrar do antigo DOS para a plataforma Windows.

Quando por fim a versão beta ficou pronta, em 2003, Freire conseguiu argumentos para convencer seus programadores incrédulos. Em testes internos de desempenho, o Maker aumentou a velocidade de produção de programas em 60 vezes e trabalhou integrado à web, gerando o mesmo sistema em 180 linguagens diferentes. Ajustes foram feitos até chegar à versão comercial 2.3, lançada nesta semana durante a feira Secop, em Belo Horizonte.

Apesar de algumas vendas já realizadas, o mercado não está plenamente convencido das promessas do Maker. Mais de 80 sites e fóruns de tecnologia abrigam discussões calorosas sobre o software, e as opiniões pendem para o lado negativo. ''''É difícil aceitar que brasileiros saiam na frente'''', diz Freire.

Outro exemplo de empreendedorismo é a Veotex, de Belo Horizonte, que criou um sistema de monitoramento com vídeo, via celular, que, segundo o diretor-presidente da companhia, Claudio Gaspari, não existe em nenhum outro lugar do mundo. ''''Usar um equipamento importado aqui é como colocar um Fórmula Um para rodar numa estrada de terra'''', compara o executivo. ''''Com um ano de lançamento, já temos mil módulos em funcionamento.''''

Entre os clientes do sistema estão a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) de São Paulo, a Oi (ex-Telemar) e a Telemig Celular. A idéia para o equipamento foi do técnico em eletrônica Roberto Fernandino, diretor de Tecnologia da empresa. ''''O horizonte é muito promissor.'''' A empresa espera faturar R$ 10 milhões este ano.

Ao mesmo tempo em que surgem empresas, os investidores buscam oportunidades. A gestora de fundos Stratus planeja captar, até o começo do próximo ano, pelo menos R$ 100 milhões para um novo fundo de tecnologia. ''''Existem oportunidades de captar lá fora também'''', afirma Carlos Kokron, diretor de Venture Capital da Stratus.

1 Comments:

At 3:22 PM, Blogger Rauhmaru said...

Saber que no nosso Estado existe tecnologia desse porte dá incentivo a toda essa galera que está nas faculdades, aprendendo a programar mas não sabe ao certo se isso dá futuro. O nosso mercado está em expansão, isso é certo, mas o que falta realmente é incentivos.

Parabéns ao nosso corajoso amigo"!

Raul Libório - FJA, Redes

 

Postar um comentário

<< Home